terça-feira, 23 de setembro de 2014

DICAS PARA MELHORAR A PERFORMANCE NA MUSCULAÇÃO

DICAS PARA MELHORAR A PERFORMANCE NA MUSCULAÇÃO

Confira algumas orientações práticas do educador físico Rubens de Oliveira Garcia para melhorar a performance na musculação


Pratique da maneira correta
(Foto: Shutterstock)

Segundo ele, a intensidade correta produz as melhores respostas hormonais e metabólicas para o aumento de massa muscular e óssea, 
redução de gordura corporal e condicionamento físico. A Viva Saúde enumerou algumas orientações práticas para otimizar a intensidade dos treinos: A partir do momento que você toma a decisão de praticar uma atividade física, é necessário que saiba o limite do seu corpo e se informe sobre o esporte ou exercício que irá praticar. A orientação de um profissional é essencial para obter resultados rápidos e consistentes. Na musculação não é diferente. A prática incorreta dos exercícios pode ocasionar lesões sérias ao corpo. Rubens de Oliveira Garcia, educador físico e professor da Ecofit Club, dá algumas dicas para os atletas: “O mais importante é investir na intensidade do treinamento, e não no volume da sessão, ou seja, na quantidade total de série e exercícios”, explica. 
1. O intervalo entre as séries: “É muito importante que seja respeitado o tempo de descanso entre as séries de
um mesmo exercício, independentemente de ele ser 30, 45, 60, 90 segundos ou mais. Para cada objetivo é estipulado um intervalo para que se restabeleçam as funções orgânicas no intuito de realizar com bom desempenho a próxima série”, comenta. No entanto, o professor explica também que o descanso não pode ser exageradamente longo, fazendo com que a intensidade do treino seja reduzida drasticamente e, dessa forma, diminuindo os resultados.
2. A sobrecarga dos exercícios: A carga dos equipamentos e pesos livres precisa ser ajustada toda vez que um determinado peso ficar "fácil" de ser levantado. É fundamental terminar as repetições com um pouco de dificuldade, sempre realizando o movimento de forma precisa, ou seja, com excelente técnica de execução. “Manter as mesmas cargas leves por muito tempo não produz os benefícios esperados. No entanto, primeiramente deve-se ficar mais forte, para, depois, aumentar os pesos nos exercícios”, diz Garcia. 
3. Velocidade dos movimentos: Para que o treino fique mais "intenso", é preciso realizar os movimentos de forma mais lenta e controlada. Desta maneira aumenta-se a consciência corporal e dificulta-se significativamente o trabalho muscular. “Também fica mais fácil sentir os músculos trabalhados, ou seja, o pump muscular, além de evitar lesões nas articulações. A aptidão física e a individualidade biológica de cada praticante determinarão a intensidade do treinamento e a orientação de um profissional de Educação Física é fundamental para saber o seu limite”, finaliza o professor.

Encontre-nos no Facebook

Total de visualizações de página

Seguidores